31 de mai de 2012

Teenage Dream

Toda noite quando encosto meu semblante no travesseiro, fecho os olhos e espero sonhar sonhar com você.
Desvaneio entre ilusões, esperando ver sua face em meio a tanta fantasia. Anseio sua voz melodiosa discursando afirmações amorosas e o seu hálito quente suspirado em meu pescoço... Acordo após um murmuro utópico e fico na esperança de que, em um dia qualquer, você bata na minha porta, dizendo todas as palavras tolas que eu imaginava nas minhas aspirações. Só espero que o futuro me destine a você.

30 de mai de 2012

Dica de Leitura

Acabo de intitular a quarta-feira como o dia da dica literária, isto é, toda quarta (ou pelo menos, a maioria delas) teremos dicas de leitura aqui.
Para quem ainda não conhece, existe uma rede social chamada Skoob (observem os link debaixo das postagens literárias!!), a qual eu participo desde 2010, que é muito interessante para quem, como eu, adora e devora livros. Entre aqui e faça o seu cadastro gratuito. Se quiser, adicione-me também! Chega de discurso, Karine!
Bem, ocorreu em Bento Gonçalves, há algumas semanas, a 27ª Feira do Livro, e sem querer entrar na polêmica que ela gerou, falarei somente sobre as minhas compras (porque eu não estaria bem se não comprasse nada, não é?)
A minha primeira compra foi Liberte Meu Coração   da  Meg Cabot.


Sinopse

Sua Alteza Real, a princesa Mia Thermopolis da Genovia, cujos diários se tornaram sucessos de venda, agora mostra ao mundo inteiro seu primeiro romance — cheio de perigo, desejo e um amor que vencerá todos os obstáculos... com a ajuda da incrivelmente talentosa Meg Cabot! Finnula é a caçula de seis irmãs e um irmão na Inglaterra do século XIII. Enquanto suas irmãs se contentam em fofocar sobre maridos, crianças e afazeres domésticos, Finnula é alvo de comentários maldosos de toda a vila por caçar nos terrenos do conde e por andar por aí em calças de couro justas! Mas de repente Finnula se vê envolvida numa complicação sem tamanho... Uma de suas irmãs acabou com o seu dote comprando vestidos e bugigangas, e a única forma em que as duas conseguem pensar para recuperar esse dinheiro é muito pouco usual... Sequestrar um lorde ou um cavaleiro rico que possa pagar um resgate! O que ela não esperava é que esse sequestro fosse criar mais problemas do que soluções: o cavaleiro recém-chegado das Cruzadas que é escolhido por Finnula vai acabar se mostrando alguém muito diferente do esperado, e a moça pode acabar tendo que abrir mão do resgate... e de seu coração.


Ainda não li, mas estou muito ansiosa. Sou do tipo de pessoa que, literalmente, julga o livro pela capa. E confesso que a capa de Liberte Meu Coração me deixou sem ar. Então é isso, espero que gostem! Se você já leu, dê a sua opinião e se não leu, também comente... haha
(http://www.skoob.com.br/livro/165125)

29 de mai de 2012


"Você pode dirigir com 16, ir para a guerra aos 18, beber aos 21, e se aposentar aos 65. Mas, qual a idade você tem que ter antes que seu amor seja verdadeiro? Já tive aos montes pessoas que não compensam esquentando a cadeira ao lado do cinema, o banco ao lado do carro e o travesseiro extra da cama. E nem por um minuto senti meu peito aquecido. A gente até engana os outros de que é feliz, mas por dentro a solidão só aumenta. Estar com alguém errado é lembrar em dobro a falta que faz alguém certo."



-Filme: Remember Me

28 de mai de 2012


"Na maioria das noites, durmo preocupada com você. Me perguntando como você está por aí. (…) A lua está cheia, o que me fez pensar em você. Pois sei que não importa o que estou fazendo, e onde estou, esta lua será sempre do mesmo tamanho da sua do outro lado do mundo."


-Nicholas Sparks  - Querido John.  

27 de mai de 2012

Eu levaria uma vida inteira para agradecer todo esse carinho que venho recebendo nesses últimos dias! Muito obrigada à todos os comentários, as novas seguidoras e tudo mais. Em virtude disso, prometo ser mais pontual e não abandoná-los por tanto tempo. Haha


Quem curte Coldplay aí?! Então, aperte o play!


26 de mai de 2012

Registros de um instante qualquer...

Primeiramente, gostaria de agradecer os diversos comentários gentis e fofos 


25 de maio de 2012

Sexta à tarde. O vento outonal emaranhava meu cabelo enquanto eu jogava papo fora com uma amiga. Como de praxe, estávamos falando num tom alto (o que, para quem nos conhece, é algo bem habitual), quando um certo senhor desconhecido nos deteu, corrigindo-nos, já que tínhamos pronunciado uma palavra incorretamente, segundo o seu ponto de vista.
Porém ignoramos e prosseguimos o nosso caminho, intrigadas (e também indignadas, de certa forma) com tal atitude do anônimo. 
O fato passou despercebido já que nunca havíamos visto tal indivíduo e nem sabíamos quem era ele. Questionei-me durante um bom tempo e inúmeras vezes não encontrei a resposta para a pergunta: se ele realmente fosse tão inteligente quanto julgava-se, o que ele estava fazendo sentado num banco da praça no meio de uma tarde enquanto poderia estar lendo um livro ou então ensinando em uma instituição de ensino já que ele se classificava tão apto assim?
E quanto a pronuncia correta da tal palavra, o sentido da frase seria prejudicado com este pequeno deslise?
Quanto a escrita correta, ela é complexa, mas tão complexa que, posso apostar que, independentemente do seu nível de formação, você nunca será perfeito a ponto de nunca errar algo.
Penso que o maior erro que alguém possa cometer é se considerar melhor do que outra pessoa. A perfeição é platônica e inconcebível, portanto, rotular os demais como ignorantes não fará você ser melhor e confiar demais no seu taco, pode ser um enorme equívoco.
Ouço frases como "palavras não são nada perto de atitudes" e creio nesta expressão, porém, essas atitudes tornam-se descartáveis se utilizadas para algo que não trará benefício algum para a pluralidade.
Como dizem, não atire pedras se o seu teto também é de vidro.


23 de mai de 2012

Dica de Leitura

Contrariando a minha leitura habitual (aqueles romances "água com açúcar" que eu sempre indico), no cardápio de hoje teremos Marina, de Carlos Ruiz Zafón.

Sinopse

Neste livro, Zafón constrói um suspense envolvente em que Barcelona é a cidade-personagem, por onde o estudante de internato Óscar Drai, de 15 anos, passa todo o seu tempo livre, andando pelas ruas e se encantando com a arquitetura de seus casarões. É um desses antigos casarões aparentemente abandonados que chama a atenção de Oscar, que logo se aventura a entrar na casa. Lá dentro, o jovem se encanta com o som de uma belíssima voz e por um relógio de bolso quebrado e muito antigo. Mas ele se assusta com uma inesperada presença na sala de estar e foge, assustado, levando o relógio. Dias depois, ao retornar à casa para devolver o objeto roubado, conhece Marina, a jovem de olhos cinzentos que o leva a um cemitério, onde uma mulher coberta por um manto negro visita uma sepultura sem nome, sempre à mesma data, à mesma hora. Os dois passam então a tentar desvendar o mistério que ronda a mulher do cemitério, passando por palacetes e estufas abandonadas, lutando contra manequins vivos e se defrontando com o mesmo símbolo - uma mariposa negra - diversas vezes, nas mais aventurosas situações por entre os cantos remotos de Barcelona. Tudo isso pelos olhos de Oscar, o menino solitário que se apaixona por Marina e tudo o que a envolve, passando a conviver dia e noite com a falta de eletricidade do casarão, o amigável e doente pai da garota, Germán, o gato Kafka, e a coleção de pinturas espectrais da sala de retratos. Em Marina, o leitor é tragado para dentro de uma investigação cheia de mistérios, conhecendo, a cada capítulo, novas pistas e personagens de uma intrincada história sobre um imigrante de Praga que fez fama e fortuna em Barcelona e teve com sua bela esposa um fim trágico. Ou pelo menos é o que todos imaginam que tenha acontecido, a não ser por Oscar e Marina, que vão correr em busca da verdade - antes de saber que é ela que vai ao encontro deles, como declara um dos complexos personagens do livro. 


Gostou? Assista ao Book Trailer então!


22 de mai de 2012

Registros de um instante qualquer...

Eis aqui a concretização de algo que vem 'matutando' minha mente há um bom tempo. Falar sobre o cotidiano é teoricamente fácil, simples e leve e essa é exatamente a minha intenção. Espero que gostem!


22 de maio de 2012


Presenciei algo que há muito tempo só fazia parte da minha imaginação fértil. Sim garotas, mulheres e todas que se consideram do gênero feminino, ainda existem homens cavalheiros.
Deparei-me com uma situação um tanto causal e que talvez tenha passado despercebida aos olhos corriqueiros da maioria das pessoas.  
Um certo senhor, desses bem 'normais', que nada tinha em comum com um galã de folhetim, olhava pacientemente para o mostrador luminoso do elevador. Contrariando os atuais padrões de antipatia, cumprimentou-me quando entrei neste mesmo cubículo espelhado. Admirada, devolvi o "bom-dia" com um sorriso um tanto forçado, já que o inusual foge aos modelos que geralmente encontro.
Na saída, topo com outra atitude gentil e cavalheiresca: ele sai do elevador e põe sua mão na porta, fazendo-a manter-se aberta, enquanto esperou todas as damas saírem daí. Após este breve instante, caminhou costumeiramente, como se não tivesse feito nada de mais.
Aqui está a justificação da introdução deste pequeno relato. Mulheres: quantas vezes viram isso?
Acredito que esperamos demais de certos homens "pré-moldados", esses estereótipos com os quais sonhamos durante toda a vida. São esses modelos de falsa perfeição que nos decepcionam sempre. Aquela velha fantasia dos contos de fadas que transformam os galanteadores em deuses gregos.
As atitudes são a marca do caráter de qualquer pessoa e neste caso, podemos observar (mais uma vez) que a beleza não põe mesa e que os rótulo de nada servem.



20 de mai de 2012

Teenage Dream

Tenho o hábito de querer saber tudo. A curiosidade fará parte de mim até o último instante que o sangue correr pelas minhas veias. Essa minha bisbilhotice aguda já que me fez bater de frente com muitos dilemas indecifrados e também me fez refletir sobre o verdadeiro propósito das coisas estarem ali, dispostas assim. Começo perceber que tudo tem uma razão e o motivo, até então obscuro, é a causa que torna tudo mais bonito, belo, platônico.Qual seria a graça de tudo estar explicado, aclarado e contestado? Somos movidos pela curiosidade e ela é a nossa eterna companheira e motivadora de todas as vontades e inspirações humanas.


19 de mai de 2012


"Aprenda que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprenda que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprenda que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprenda que o tempo não é algo que possa voltar para trás."

-Shakespeare 

18 de mai de 2012

"Os dias passavam, passavam e passavam, alcançavam as semanas, dobravam as quinzenas, atingiam os meses, acumulavam-se em anos, amontoavam-se em décadas — e nada acontecia."
-Caio Fernando Abreu.

17 de mai de 2012


 
O que é que todos nós queremos no fim das contas? Alguém que nos ame, alguém que nos assuma e no perdoe. Sim, porque um grande amor, quase sempre, é uma grande troca de perdões. Quem não sabe perdoar, ainda não está pronto para o amor. O difícil é sair de uma relação assim, porque geralmente quando estamos presos a um só sentimento, nós deixamos de enxergar o mundo a nossa volta”.

                                                                         Miguel Falabella

16 de mai de 2012

Dica de Leitura

Este é um dos primeiros livros (com mais de 100 páginas) que li e é graças à personagem principal que sou a devoradora de palavras que aqui vos escreve. Pollyanna é um clássico da literatura mundial divinamente narrado por Eleanor H. Porter. Quer conhecê-la?


Sinopse

A pequena Beldingsville, uma típica cidadezinha do início do século XX na Nova Inglaterra, Estados Unidos, nunca mais seria a mesma depois da chegada de Pollyanna, uma órfã de 11 anos que vai morar com a tia, a irascível e angustiada Polly Harrington. Por influência da menina, de uma hora para outras tudo começa a mudar no lugar. Tia Polly aos poucos torna-se uma pessoa melhor, mais amável, e o mesmo acontece com praticamente todos os que conhecem a garota e seu incrível "Jogo do Contente". Uma otimista incurável, Pollyana não aceita desculpas para a infelicidade e emprenha-se de corpo e alma em ensinar às pessoas o caminho de superar a tristeza. 




Pollyanna é  livro é muito bom. Apresenta uma roupagem diferente, mas a ideia é a mesma que qualquer livro de auto-ajuda, porém, muito mais eficaz. Para quem aprecia a 7ª arte, existe o filme, baseado no livro, de mesmo título. Trata-se de um filme bem antigo e longo, mas vale a pena para quem gostou da história.


Aperte o play!  So What- P!nk

14 de mai de 2012


- Vocês se amaram?
- Ela me amou. Foi a única criatura que… – Fez um gesto. – Enfim não tem importância.
Raquel tirou-lhe o cigarro, tragou e depois devolveu-o:
- Eu gostei de você, Ricardo.
- E eu te amei. E te amo ainda. Percebe agora a diferença?

(Lygia Fagundes Telles)

12 de mai de 2012

Registros de um instante qualquer...

"Como esse mundo dá voltas..." aposto que você já deve ter ouvido esta expressão e também creio que ela resuma exatamente tudo que está acontecendo atualmente.
É curioso, e de certo modo engraçado, como tudo acontece. Em um dia qualquer você desaba em lágrimas e algumas semanas depois esquece até dos motivos que geraram tamanho aguaceiro. Como dizem, nada é eterno. 
O que mais me surpreende, entretanto, é a grandeza da dissimulação, dissimulação esta que alastrou-se como um vírus capaz de aniquilar o mínimo de caráter que determinados sujeitos possuem.
O indivíduo, sem nenhuma convicção, proclama o seu nome aos ventos, juntamente com uma porção de calúnias sem fundamento, e após um determinado período resolve voltar atrás e simular uma amnésia total, fingindo esquecer de tudo que aconteceu. Citando palavras populares novamente, acredito que quem sofre possui uma memória muito mais eficaz do que aquela de quem o agride. É tão fácil apagar algo que não faz diferença para você, afinal, quem atira a pedra não sente a dor da pancada.
Mas volto a dizer, o mundo admira-me muito e as suas voltas e reviravoltas ainda prometem muita ladainha.




11 de mai de 2012


“…existe apenas um pecado, um só. E esse pecado é roubar. Qualquer outro é simples mente uma variação do roubo.
Quando você mata um homem, está roubando uma vida. Está roubando da esposa o direito de ter um marido, roubando dos filhos um pai. Quando mente, está roubando de alguém o direito de saber a verdade.
Quando trapaceia, está roubando o direito à justiça.”


(O Caçador de Pipas)

9 de mai de 2012

Dica de Leitura

E a dica de hoje é um livro já bem conhecido (graças ao filme e também ao seu escritor esplêndido) que ganhei em meu aniversário há algum tempo. Refiro-me a A Última Música, de Nicholas Sparks.



Sinopse

Aos dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virada de cabeça para baixo, quando seus pais se divorciaram e seu pai decide ir morar na praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que seria melhor para os filhos passarem as férias de verão com ele na Carolina do Norte. O pai de Ronnie, ex-pianista, vive uma vida tranquila na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação dele e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda começa a apaixonar-se profundamente por ele, abrindo-se para uma nova experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade – e dor – jamais sentida. Uma história inesquecível de amor, carinho e compreensão – o primeiro amor, o amadurecimento, a relação entre pais e filhos, o recomeço e o perdão – A ÚLTIMA MÚSICA demonstra, como só Nicholas Sparks consegue, as várias maneiras que o amor é capaz de partir e curar seu coração. 


Aqui está o trailler do filme, que também está mais do que recomendado!



6 de mai de 2012

 Oi meus anjos *-*
Estou aqui para comentar o desafio que a Elaíse P me propôs. Trata-se do seguinte:
Para conquistar este selinho  é necessário fazer os seguintes passos:


1- Escolher 5 blogs recentes com menos de 200 seguidores para atribuir este selo
2- Mostrar o agradecimento a quem lhe atribuiu o selo fazendo um link para o seu blog
3- Colocar o selo no blog. Listar os blogs a quem se atribui o prémio com os seus links. Deixar um comentário nos seus blogs para que tenham conhecimento do selo.
4- Partilhar cinco fatos aleatórios acerca de ti que as pessoas não saibam.

Então, os cinco fatos sobre mim são:
1) Faço teatro há três anos.
2) Adooro chocolate meio amargo
3)Não curto All Star
4) Meu sonho é ter uma mega biblioteca particular
5) Adoraria voar de balão *-*-* 

Indico este desafio e dedico este selo aos seguintes blogs:


Bem, falta uma indicação. Portanto, quem quiser fazer este desafio, fique a vontade.


Por enquanto é isso! Mais uma vez, agradeço a indicação. Beijos :*

5 de mai de 2012

Amor não tem garantia mas tem devolução. Pode começar do nada, pode acabar de repente, pode não ter fim. Mas tem sempre o meio. O amor é isso que você está vendo. Hoje beija, amanhã não beija, depois de amanhã é domingo e segunda-feira ninguém sabe o que será.
"Eu aprendi que, algumas vezes, tudo o que precisamos é de uma mão para segurar e um coração para nos entender."

William Shakespeare

Teenage Dream

 
Você é o meu filme favorito. Misterioso, romântico e tão clichê. Suspiros, pipoca e boas risadas. Mas desde que você se foi, a grande tela perdeu suas cores e passou a exibir um filme qualquer em preto e branco. O de sempre, sem nenhuma alteração. O diário e monótono clipe da vida real.Viver sem você é tão sufocante quanto respirar e não encher os pulmões de ar. Falar sem pronunciar palavra alguma. Escrever sem entender. Esperar, esperar e nada chegar...



4 de mai de 2012

3 de mai de 2012


— É pecado sonhar?
— Não. Nunca foi.
— Então por que essa divindade nos dá golpes tão fortes de realidade e parte nossos sonhos?
— Divindade não destrói sonhos. Somos nós que ficamos esperando, ao invés de fazer acontecer.
(Machado de Assis)

1 de mai de 2012

Teenage Dream



O que é o amor?
Penso que o amor nada mais é do que uma música.  
Para os apaixonados, é  uma doce cantiga.
Para os solitários, é uma triste canção.
Para os afortunados, uma sinfonia afável.
Para os sonhadores, uma harmonia perfeita.
Para os descrentes, uma modinha qualquer.
Para mim, uma velha e castigada melodia que relembra todos os calos e machucados provocados por esta dança sem compasso.